A odontopediatria é a área de odontologia que preza pelo cuidado de saúde da boca infanto-juvenil. Atualmente, sabe-se que o medo de muita gente em frequentar um consultório dentário se dá devido às experiências de caráter negativo obtido na infância. Por esta razão, a atuação do odontopediatra é importantíssima.

Os odontopediatras se responsabilizam pela limpeza, não somente dos pequenos que já apresentam dentes, mas dos que ainda estão na barriga das mamães e bebês.

É importante que as mulheres em período de gestação já iniciem a procura aos odontopediatras. Todas as informações são imprescindíveis para manter o cuidado da saúde bucal, desde o início do nascimento de seu filho.

Tratar a saúde bucal de crianças também requer cuidados especiais. Elas necessitam de atenção redobrada e psicologia adequada, para que tal consulta ao dentista não se torne algo amedrontador. O local também precisa mostrar atratividade, auxiliando a criança a ter confiança e descontração.

É relevante que pais e familiares tenham uma conversa com o odontopediatra, caso existam experiências negativas vivenciadas pela criança em relação a dentistas, para que o especialistas saibam como auxiliá-lo com tal medo e que o tratamento aconteça da melhor forma disponível.

PERGUNTAS FREQUENTES

Como é o tratamento odontopediatra?

O tratamento para crianças também requer cuidado especial. Os pequenos precisam de maior atenção e psicologia para que a visita ao dentista não vire uma tortura. O ambiente também deve ser atrativo, ajudando a criança a se sentir confiante e descontraída.

Quais são os objetivos da odontopediatria?

Tais observações permitem vários objetivos relacionados a Odontopediatria:

  • Orientação e motivação de familiares e responsáveis em relação ao incentivo a uma boa saúde da boca das crianças;
  • Auxílio da criança e adolescente ao desenvolvimento de costumes que promovam a saúde da boca, de forma a conscientizá-los;
  • Análise da forma como cresce e se desenvolvem os dentes e estruturas da face, detectando possíveis desvios;
  • Identificação de fatores de risco, para patologias bucais e implementação de técnicas de prevenção;
  • Reabilitação morfológica e funcional de aparelhos estomatognático lesionado por patologias comuns que acometem a cavidade da boca de crianças e adolescentes;
  • Encaminhamento da criança para consultas adequadas, sempre que for necessário, para especialistas, ao passo ultrapassem os limites odontopediátricos;
  • Integração, em relação às oportunidades apresentadas, de modo a colaborar para promover a saúde da boca infantil e de jovens.